Gentileza Academia Brasileira de Letras www.academia.org.br

I. DADOS PESSOAIS
NOME : Luiz Carlos Verzoni Nejar
NOME LITERÁRIO : Carlos Nejar
FILIAÇÃO : Sady Nejar e Mafalda Verzoni Nejar
DATA NASCIMENTO : 11 de janeiro de 1 9 3 9
NATURAL DE : Porto Alegre, RS. Brasil.
ESTADO CIVIL : Casado com Elza Griffo Almeida Nejar
CARTEIRA DO MINISTÉRIO PÚBLICO: 131 - Procurador da Justiça. C. ORDEM DOS ADVOGADOS: OAB - ES n. 175-A.

II. DADOS LITERÁRIOS

- Participou de inúmeros Congressos Nacionais e Internacionais
de Literatura. Entre esses, no VI e VIII Encontro Nacional de Es-
critores, em Brasília, Distrito Federal ( 10 a 13.09.71 e 22 a 27.10.
73), Primeiro Seminário de Literatura no Rio Grande do Sul(25 a
28 de setembro de 1972), II Congresso Nacional de Poesia, em
Goiânia (06 a 10.06.73), Encontro de Escritores Latino-Americanos,
em Punta Del Este, Uruguai, março de l968;

- É detentor do Prêmio Nacional de Poesia Jorge de Lima, do Insti-
tuto Nacional do Livro, sediado em Brasília, DF, em l970;

- Recebeu o Prêmio Fernando Chinaglia, de 1974, da União Brasilei-
ra de Escritores (U.B.E. ), do Rio de Janeiro, com O POÇO DO
CALABOUÇO, editado pela Livraria Moraes Editores, de Lisboa e
considerado o melhor livro de poesia do mencionado ano;

- A Associação Paulista de Críticos de Arte concedeu o Prêmio da
melhor tradução do ano , à versão do livro MEMORIAL DE ILHA
NEGRA ( Vol.1 - Onde nasce a chuva), de Pablo Neruda, São Paulo,
1977.

- O Pen Clube do Brasil outorgou-lhe o Prêmio Luíza Cláudio de
Souza, no Rio de Janeiro, para ÁRVORE DO MUNDO, em l978;

- A Câmara dos Vereadores de Porto Alegre, RS, em 1980, conce-
deu-lhe, pela sua Obra, o Prêmio Érico Veríssimo, 1981;

- A Associação Nacional de Crítica Literária, do Rio de Janeiro,
outorgou-lhe o Prêmio Monteiro Lobato ao seu livro infanto-juvenil
ERA UM VENTO MUITO BRANCO, editora Globo, em 1987.

- A Associação Paulista de Críticos de Arte, de São Paulo, premiou
ZÃO , editora Melhoramentos, como o melhor livro de poesia infanto-
juvenil, em 1988.

- Ganhou da União Brasileira de Escritores( U.B.E.), do Rio de
Janeiro, O Troféu Francisco Igreja , pelo livro - AMAR, A MAIS AL-
TA CONSTELAÇÃO, Livraria José Olympio editores, em 1991,
como o melhor livro de poesia publicado no referido ano.

- Foi bolsista, a convite da Fundação Calouste Gulbenkian, em via-
gem, a Lisboa, Portugal, no mês de outubro de 1981, a fim de
organizar a ANTOLOGIA DA POESIA PORTUGUESA CONTEMPO-
RÂNEA, saída no Brasil, São Paulo, pela editora Massao-Ohno,
em 1982;

- É colaborador da Revista Colóquio/Letras, de Lisboa, do Jornal
de Letras, da mesma cidade, com poemas traduzidos para a Quar -
tely Review of Literature, de Princeton, New Jersey, para a World Lite-
rature Today, de Oklahoma, USA para a Sirene, Zeitschrift für Li-
teratur, de München, e do Dieser Tag Voller Vulcane, im Bauerhaus,
da Alemanha, para a Poesía, de Carabobo, Venezuela e de inúme-
ras revistas e jornais do País;

- Ocupa a vaga de Raul Bopp, no Pen Clube do Brasil, no Rio de
Janeiro.

- Participou do Conclave O Legado da Cultura Árabe às Culturas La-
tino-Americanas, sobre a épica contemporânea, na Universidade
de Verão Al Mu'Tamid Ibn Abbad de Asilah, em Tânger, Marrocos,
de 12 a 15 de agosto de 1989;

- É membro da ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS, ocupando a
Cadeira n. 4, tendo tomado posse em 9 de maio de 1989, na vaga
do também gaúcho - Vianna Moog. Atualmente, único represen-
tante do Rio Grande do Sul na ABL ;

- Membro da Academia Espírito-Santense de Letras, eleito em de-
zembro/l991, Vitória, ES, assumindo em 1992, no Palácio Anchie-
ta, do Governo do Estado.

- Jurado do PRÊMIO CASA DAS AMÉRICAS, em Havana, Cuba, em
janeiro de 1992.
- Membro do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo,
em Vitória. Assume em 1993.

- Recebe o título de CIDADÃO DO ESPÍRITO SANTO, da Assem-
bléia Legislativa do Estado, em 1993.

- É escolhido para o CONSELHO NACIONAL DE INCENTIVO À
CULTURA, do MINISTÉRIO DE CULTURA, na área de literatura e
humanidades, pela Associação Nacional de Jornalistas, pela Aca-
demia Brasileira de Letras, pela Casa do Poeta Riograndense e
pela Associação das Universidades Públicas, em 1992/ l993.

- É nomeado para o CONSELHO NACIONAL DE POLÍTICA CULTU-
RAL, do MINISTÉRIO DE CULTURA, em 1993, pela Presidência da
República.

- Foi indicado para o PRÊMIO RAINHA SOFIA DA ESPANHA, em
Salamanca, pela Universidade Federal do Espírito Santo, com o
apoio da Academia Brasileira de Letras, em abril de 1995.

- Ganha , por unanimidade, O TROFÉU CASSIANO RICARDO, do
CLUBE DE POESIA, de São Paulo, no seu cinqüentenário, em 24
de maio de 1995, para a melhor obra de poesia publicada, nos
dois últimos anos.

- É nomeado para a Comissão preparatória da comemoração do
V Descobrimento do Brasil, pelo Ministério de Relações Exteriores,
com mais doze personalidades nacionais, em junho de 1996.

- Recebe em Porto Alegre , do Senhor Governador do Rio Grande do
Sul , entre outros, O Troféu Brava Gente, com a medalha de Embai-
xador do Rio Grande, como personalidade que elevou o nome do Es-
nado, nacionalmente, na literatura, em 18 de setembro de 1996.

- Foi jurado do "Prêmio Luís de Camões", de Literatura, em
Lisboa, concedido anualmente pelo Brasil e Portugal,a con-
vite do Ministério de Cultura brasileiro, em maio de 1997.

- Foi novamente indicado para o "VI PRÊMIO RAINHA SO-
FIA DA ESPANHA "- Universidade de Salamanca, Salamanca,
pela Universidade Federal do Espírito Santo, Academia Espirito-
santense de Letras, Instituto Histórico e Geográfico do Es-
pírito Santo, Academia Brasileira de Letras e pela Bibliote-
ca Nacional, do Rio, em junho de 1997.

- Foi representante do Brasil na Feira do Livro de Madrid, junto com
José J. Veiga e outros, na Espanha, à convite do Ministério da Cultu-
ra do Brasil e da Biblioteca Nacional, em outubro de 1997.

- Integrou o grupo de 36 escritores brasileiros, selecionados pelo
Ministério de Cultura do Brasil e pela Biblioteca Nacional, para o X
Salão do Livro de Paris, em 20 de março de 1998, onde partici-
pou de simpósio sobre a literatura brasileira, país homenageado pela
França.

- Participou, como convidado, do II Festival Internacional de Poesia,
em Las Palmas, Gran Canária, Espanha, do dia 6 a 12 de maio de
1998, onde recitou seus poemas, entre grandes personalidades lite-
rárias de vários países.

- Participou do Festival Internacional de Poesia, em Quito, Equador,
com recital de poemas, entre importantes poetas da América do Sul,
de 6 a 11 de julho de 1999.

.

III. O B R A S D O A U T O R

L I V R O S

1. POESIA.

- SÉLESIS - Livraria do Globo, Porto Alegre,1960;

- LIVRO DE SILBION - ed. Difusão de Cultura, Porto Alegre,1963;
4a edição, comemorando os 35 anos de publicação, editora Huci-
tec , São Paulo, 1999;

- LIVRO DO TEMPO - ed. Champagnat , Porto Alegre, 1965;

- O CAMPEADOR E O VENTO - editora Sulina, Porto Alegre, 1966;

- DANAÇÕES - José Álvaro Editor, Rio de Janeiro, em 1969;

- ORDENAÇÕES , editora Gobo em convênio com o INL . Prêmio
Jorge de Lima , do Instituto Nacional do Livro para a obra inédita,
(Ordenação IV - Arrolamento), Porto Alegre, 1971;

- CANGA (JESUALDO MONTE) , editora Civilização Brasileira S/A,
Rio de Janeiro, em 1971;

- CASA DOS ARREIOS - editora Globo , em convênio com o INL,
Porto Alegre, 1973;

- O POÇO DO CALABOUÇO, coleção "Círculo de Poesia ", Livra -
ria Moraes Editores, (esgotado) . Lisboa , l974.No mesmo ano rece
beu o Prêmio Fernando Chinaglia, para a melhor obra publicada no
mencionado ano, pela União Brasileira de Escritores, Rio;

- O POÇO DO CALABOUÇO - Editora Salamandra, Rio de Janeiro,77;
2a edição, 1980; 3a edição, Editora Record, Rio de Janeiro,1983;

- DE SÉLESIS A DANAÇÕES -( 2a edição dos cinco primeiros livros
"Coleção Sélesis "), Ed. Quíron , em convênio com o INL, 1975;

- SOMOS POUCOS , Editora Crítica, Rio de Janeiro, em 1976;

- ÁRVORE DO MUNDO , editora Nova Aguilar e convênio com o INL,
1977; 2a edição , Nova Fronteira, Rio de Janeiro , 1977. Prêmio Luí-
za Cláudio de Souza, do Pen clube do Brasil, como melhor obra
publicada no mencionado ano;

- O CHAPÉU DAS ESTAÇÕES, editora Nova Fronteira, Rio de Jan.
1978;

- TRÊS LIVROS: O POÇO DO CALABOUÇO, ÁRVORE DO MUNDO
CHAPÉU DAS ESTAÇÕES , num só volume- Círculo do Livro, São
Paulo, l979 ( esgotado).

- OS VIVENTES, editora Nova Fronteira , Rio de Janeiro, 1979;

- UM PAÍS O CORAÇÃO, editora Nova Fronteira , Rio de Jan.,1980;

- OBRA POÉTICA (I) - (Sélesis, Livro de Silbion, Livro do Tempo,
O Campeador e o Vento, Danações, Ordenações, Canga, Casa dos Ar-
reios, Somos Poucos e o inédito, A Ferocidade das Coisas), editora
Nova Fronteira , Rio de Janeiro, l980. Prêmio Érico Veríssimo, Câ-
Câmara Municipal de Porto Alegre, 1981.

- LIVRO DE GAZÉIS, editora Moraes editores, "Coleção Canto
Universal", Lisboa, Portugal, 1983; Editora Record, Rio de Janeiro,
1984 ;

- OS MELHORES POEMAS DE CARLOS NEJAR, editora Global,
São Paulo, 1984. A 2a edição, com seleção e prefácio de Léo Gil-
son Ribeiro, São Paulo, 1998;

-A GENEALOGIA DA PALAVRA ( Antologia Pessoal), editora Ilumi-
nuras, São Paulo, 1989 (esgotado);

- MINHA VOZ SE CHAMAVA CARLOS (Antologia ), coleção "petit-
poa", Unidade editorial, Prefeitura Municipal de Porto Alegre, 2a ed., em 1994;

- AMAR, A MAIS ALTA CONSTELAÇÃO ( Livro de Sonetos), Livraria
José Olympio editora , Rio de Janeiro , 1991. Troféu Francisco Igre-
ja, da União Brasileira de Escritores, Rio, no mesmo ano;

- MEUS ESTIMADOS VIVOS (primeiro livro de papel reciclado do
Brasil, edição com ilustrações de Jorge Solé). Editora Nemar,
com apoio da Prefeitura Municipal de Vitória, ES, em 1991;

- ELZA DOS PÁSSAROS, OU A ORDEM DOS PLANETAS, editora
Nejarim-Paiol da Aurora e apoio da Lei Rubem Braga , Guarapa-
ri, ES, 1993;

- CANGA (JESUALDO MONTE), 3a edição, bilingüe (espanhol e
português), tradução ao espanhol de LUIS OVIEDO, editora Neja-
rim-Paiol da Aurora, Guarapari, ES, l993;

- SIMÓN VENTO BOLÍVAR, bilingüe (português e espanhol), tradu -
ção ao espanhol de LUIS OVIEDO, editora Age, Porto Alegre, RS,
l993;

- ARCA DA ALIANÇA,( personagens bíblicos), editora Nejarim - Paiol da
Aurora ,Guarapari, ES, 1995.

- OS DIAS PELOS DIAS ( CANGA, ÁRVORE DO MUNDO e O POÇO
DO CALABOUÇO), Editora Topbooks, Rio, 1997.

- SONETOS DO PAIOL, AO SUL DA AURORA , LP&M editores, Por-
to Alegre, RS, 1997.

.

2. RAPSÓDIA.

- A IDADE DA AURORA (Rapsódia), editora Massao-Ohno, São
Paulo, comemorando os 30 anos de poesia do autor, 1990; 2a
edição, ed. Nemar e Massao-Ohno, Vitória e S. Paulo, 1991;

.

3. PERSONAE-POEMAS

- POEMAS DRAMÁTICOS ( FAUSTO, AS PARCAS, JOANA DAS VO-
ZES, MIGUEL PAMPA e ULISSES), editora Record, Rio, l983;

- VOZES DO BRASIL (AUTO DE ROMARIA), Livraria José Olympio
editores, Rio de Janeiro, 1984;

- O PAI DAS COISAS, L& PM editores , Porto Alegre,RS, 1985;

- FAUSTO, 2a edição. Bilingüe (português e alemão). Tradução
ao alemão de KURT SHARF, editora Tchê, Porto Alegre, 1987;

- MIGUEL PAMPA, 2a edição, editoras Nemar e Massao-Ohno, Vi-
tória e São Paulo, em 1991;

- TEATRO EM VERSOS (reunião num volume , com prefácio de Antô-
nio Hohlfeldt), de MIGUEL PAMPA, FAUSTO, JOANA DAS VOZES,
AS PARCAS, ULISSES, FOGO BRANCO(VOZES DO BRASIL), O PAI
DAS COISAS e o inédito - AUTO DO JUÍZO FINAL OU DEUS NÃO É
UMA ANDORINHA, edição da Funarte, do Rio de Janeiro, 1998.

.

3. PROSOPOEMAS

- MEMÓRIAS DO PORÃO, livraria José Olympio editora, Rio de
Janeiro , 1985;

- AQUÉM DA INFÂNCIA, editora Nejarim - Paiol da Aurora(comemo-
rando os 35 anos de poesia), Guararapi, ES, 1995.

.

4. INFANTO-JUVENIS.

- JERICÓ SOLETRAVA O SOL & AS COISAS POMBAS, editora Glo-
bo, Rio de Janeiro, 1986;

- O MENINO-RIO, 2a edição, editora Mercado Aberto, Porto Ale-
gre, RS, 1985;

- ERA UM VENTO MUITO BRANCO, editora Globo, Rio de Janeiro.
1987. Prêmio Monteiro Lobato, da Associação Brasileira de Crítica
Literária, Rio, 1988. Esgotado.

- A FORMIGA METAFÍSICA , editora Globo, Rio de Janeiro, 1988;

- ZÃO , editora Melhoramentos, São Paulo, 1988. Prêmio como o
melhor livro infanto-juvenil , da Associação Paulista de Críticos de
Arte, 1989;

- GRANDE VENTO (com ilustrações de Cristiano Chagas), em for-
ma de quadrinhos, Edições Consultor, Rio de Janeiro, 1997.

.

5. ROMANCES (TRANSFICÇÃO)

- UM CERTO JAQUES NETAN, Coleção Aché dos "Imortais da
Literatura", S. Paulo, 1991; Editora Record , Rio de Janeiro, no
mesmo ano;

- O TÚNEL PERFEITO, editora Relume-Dumará e UFES, Rio de
Janeiro, 1994.

- CARTA AOS LOUCOS, editora Record, Rio de Janeiro, 1998.

.

6. ENSAIO.

- O FOGO É UMA CHAMA ÚMIDA (REFLEXÕES SOBRE A POESIA
CONTEMPORÂNEA), "Coleção Afrânio Peixoto", edição da Aca-
demia Brasileira de Letras , Rio de Janeiro, 1995.

.

7. ANTOLOGIAS E LIVROS (ONDE ESTÃO INCLUÍDOS
SEUS POEMAS)

- A NOVÍSSIMA POESIA BRASILEIRA, organizada por Walmir
Ayala, série 2a. Cadernos Brasileiros. Rio de Janeiro , 1962;

- LA POESÍA BRASILEÑA EN LA ACTUALIDAD, organizada por
Gilberto Mendonça Teles, Editora Letras, Montevideo, 1969;

- DOIS POETAS NOVOS DO BRASIL - (Antologia com Armindo
Trevisan),"Círculo de Poesia ". Editora Moraes editores, Lisboa,
Portugal, 1972;

- BRASILIANISCHE POESIE DES 20. JAHRHUNDERTS ( POESIA
BRASILEIRA DO SÉCULO XX), organização, tradução e estudos
de Curt Meyer-Clason . Deutsches Taschenbuch Verlag, Berlim ,
Alemanha, 1975;

- LATEINAMERIKA - STIMMMEN EINES KONTINENTS. Antologia
da Literatura Latino-Americana, com organização, tradução e estudos
de Gunter W. Lorenz. Erdmann, Editorial Basiléia, Alemanha, 1974;

- ANTOLOGIA DO CÍRCULO DE POESIA (organizada por Pedro Ta -
men) , Livraria Moraes editores, Lisboa, Portugal, 1977;

- CINCO POETAS GAÚCHOS - Antologia, Assembléia Legislativa
do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1977;

- LAS VOCES SOLIDARIAS (organização e tradução de Santiago
Kovadloff). Editora Calicanto. Buenos Aires, Argentina, 1978;

- POEMAS - tradução de Perez Só , in Poesía n. 42 , Valencia,
Carabobo, Venezuela, 1978;

- ANTOLOGIA DA LITERATURA RIO-GRANDENSE CONTEMPORÂ-
NEA , organizada por Antônio Holfeldt, vol. 2, L& PM editores,
Porto Alegre, 1979;

- WORLD LITERATURE TODAY, Formely Books Abroad. Tradução
de Richard Preto Rodas . University of Oklahoma, USA,vol. 53,
Winter , 1979;

- HISTÓRIAS DO VINHO - L& PM editores (vários colaboradores),
Porto Alegre, 1980;

- TREE OF THE WORLD (ANTOLOGIA), tradução e seleção do
Dr. Giovanni Pontiero. New Directions, USA. An Internacional
Anthology of Prose & Poetry n. 40, 1980;

- ANTOLOGIA DA NOVÍSSIMA POESIA BRASILEIRA, organizada
por Gramiro de Matos e Manuel de Seabra. Livros-Horizonte,
Lisboa, Portugal, 1981;

- POEMS FROM CANGA (Antologia), tradução e seleção do Dr.
Giovanni Ponteiro, Latin American Literature and Arts. Review
n. 28, january/april 1981;

- YOKE(CANGA) -JESUALDO MONTE, tradução de Madeleine Piccio-
tto. Quartely Review of Literature.Poetry Series III. Edited by
T & R. Weiss. Volume XXII. Princeton, New Jersey, USA, 1981;

- A IDADE DA ETERNIDADE , organizada por Antônio Osório. Edi-
tora Gota de Água. Porto, Portugal, 1981;

- DIESER TAG VOLLER VULCANE. Tradução e seleção de Kurt Sharf.
Verlag im Bauerhaus, Alemanha, 1984;

- POETAS CONTEMPORÂNEOS, organização e seleção de Henri-
que L. Alves. Roswitha Kempf editores, São Paulo, 1985;

- ANTOLOGIE DE LA POÉSIE BRESILIENNE - tradução e seleção de
Bernard Lorraine, Éditions Ouvrières. Dessin et Tolra. Paris,1986;

- SAVRMENA PAEZIJA BRAZILA (ANTOLOGIA DA POESIA BRASI -
LEIRA) . Seleção e tradução ao iuguslavo por André Kisil.
Kruncsevac - Bajdala , 1987 ;

- FAUST (em edição bilingüe português-alemão), tradução de
Kurt Sharf. Ed. Tchê. PAlegre, RS, 1987;

- ANTHOLOGIE DE LA NOUVELLE POÉSIE BRÉSILIENNE. Presenta-
tion de Serge Borgea. Tradução e seleção de Marcella Mortara .
Éditions l 'Harmattan, Paris, 1988;

- A PAZ - ANTOLOGIA DE POETAS E PINTORES. Fundação Banco
do Brasil e Spala Editora, Rio , em português/inglês, 1990;

- VAN DER GRAUSAMKEIT DER DINGE (A FEROCIDADE DAS COI -
SAS) .Tradução e seleção de Kurt Sharf . Sirene. Zetschrift für Li-
teratur. München, Alemanha. April 1992;

- DE AMAR E AMOR (Sete Poetas), seleção, ilustrações e edição
( trabalho gráfico) do pintor Jorge Solé, Vitória, ES , 1993;

- THE AGE OF THE DAWN (A IDADE DA AURORA), seleção e tradu-
ção de Madeleine Picciotto.Quartely Review of Literature. Poetry
Series XII. T & R. Weiss, 50th Anniversary Anthology. New Jersey,
Princeton , USA, 1994;

- POEMAS DE AMOR (ANTOLOGIA), com apresentação e seleção
de Walmir Ayala. Ediouro S/A, págs. 40 e 41 , Rio de Janeiro,1991;

- PÉROLAS DO BRASIL( BRAZILIA GYÖNGYEI), tradução e seleção
de Lívia Paulini . Ego. Budapest, 1993.

- BRAZIL ISSUE (International Poetry Review) -introdução crítica,tra-
dução de Steven F. White.Universityy of North Carolina at
Greensboro, USA, Spring- 1997.

- Vinte Poetas Brasileiros - prefácio, seleção e tradução de Sílvio
Castro, Ed. Veneza, Itália, 1997.

- UN DIE BRASILIANISCHE LYRIK DER GEGENWART(Modernismo
Brasileiro ) . Introdução crítica, seleção e tradução de Curt
Meyer-Clason , Edition Drckhhaus Neunzehnhundert
Siebenundneunzig, München, Alemanha, 1997.

.

8. ANTOLOGIAS (QUE ORGANIZOU)

- ANTOLOGIA DE UM EMIGRANTE DO PARAISO -ANTÔNIO OSÓRIO
Com prefácio e seleção de poemas. Editora Massao-Ohno, São
Paulo, 1981;

- ANTOLOGIA DA POESIA PORTUGUESA CONTEMPORÂNEA (A par
tir de Victorino Nemésio). Apresentação, seleção de poemas e dados
bio-bibliográficos. Editora Massao-Ohno. São Paulo, 1982;

- ANTOLOGIA DA POESIA BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA ( A partir
de 1945). Apresentação, seleção de poemas e dados bio-bibliográ-
ficos. Prefácio de Eduardo Portella. Imprensa Nacional e Casa da
Moeda, Lisboa, Portugal, 1986.

.

9. TRADUÇÕES:

- FICÇÕES, de Jorge Luís Borges, Editora Globo,
Porto Alegre,RS, 1970.Constante de Obras Completas , Vol.
I, pela mesma editora, agora em São Paulo, 1998.

- ELOGIO DA SOMBRA, de Jorge Luís Boges ( em
parceria com Alfredo Jacques), Editora Globo, Porto Ale-
gre, RS, 1971.

- MEMORIAL DE ILHA NEGRA (I. De onde nasce a
chuva), de Pablo Neruda.Editora Salamandra, Rio, 1980.
Prêmio de melhor tradução da Associação Paulista de
Críticos de Arte;

- CEM SONETOS DE AMOR, de Pablo Neruda, LP&M
editores. Porto Alegre,RS,1979. Atualmente na 10a edição.

- AS UVAS E O VENTO, de Pablo Neruda. LP&M edito-
res, Porto Alegre, RS, 1980.

.

10. DADOS BIOGRÁFICOS.

Carlos Nejar , nome literário de Luiz Carlos Verzoni Nejar ,
nasceu em Porto Alegre, RS , em 11 de janeiro de 1939. Formado
em Direito, viajou como promotor de justiça pelo interior do Rio
Grande do Sul, conheceu palmo a palmo, o pampa que "avulta
na sua visão poética . Testemunha de seu tempo e seu povo, Ne-
jar -tal como Drummond (inconfundivelmente mineiro) e João Ca-
bral de Melo Neto ( inconfundivelmente nordestino) - preocupa-se
básicamente , com a a poesia do homem pelo homem " (Dr.Giovanni
Pontiero, Universidade de Manchester). Atualmente é procurador
de justiça aposentado e vive no seu Paiol da Aurora, diante do mar
de Santa Mônica, Guarapari, ES. Esteve, várias vezes, em Lisboa,
a convite da Fundação Gulbenkian .Defende uma nova épica na
poesia contemporânea, a partir de seu O CAMPEADOR E O VENTO
(1966), considerado muito importante por poetas como J. Cabral
e Murilo Mendes, atingindo a realização mais plena na IDADE DA
AURORA (1990), em contato com a natureza prodigiosa do Espírito
Santo, onde reside . Nas canções de amor se caracterizou pelo seu
marcante Livro de Gazéis (ou gazais). É traduzido para várias lín-
guas e estudado nas universidades do Brasil e Exterior. A ponto
de Austregésilo de Atayde observar: "A grande revelação que ti-
ve de Nejar me foi feita por estrangeiros no Seminário de Traduto -
res de Literatura Brasileira, em Campos e ficamos surpreendidos ao
ver que ele aparecia como primeira menção pelas figuras mais
ilustres que ali acorreram" (Jornal do Comércio, 4.12.91,Rio).
É destacado pelo crítico suiço Gustav Siebenmann, em seu livro
"Poesia y Poéticas del Siglo XX en la América Hispana y el Brasil",
(Ed. Gredos, Biblioteca Românica Hispânica, Madri, 1997), entre os
37 escritores- chaves do século, escolhidos entre 300 autores me -
moráveis, no período compreendido entre 1890-1990.

.

V. DADOS PROFISSIONAIS

- Fez o Concurso para o Ministério Público gaúcho, assumindo,
assim, a função, na primeira turma, em 1963, atuando em diversas co-
marcas do Rio Grande do Sul, Pinheiro Machado, Bagé, Taquari, Uru-
guaiana, Itaqui, São Jerônimo, Erexim, Caxias do Sul, e Porto Alegre ;

- De 1965 a 1973, foi também Professor Estadual de Português e
Literatura, nos seguintes estabelecimentos de ensino do Rio Grande do
Sul: escola Normal Álvaro Haubert, de Taquari; Colégio Estadual São Patrí -
cio, em Itaqui; Colégio Estadual Castro Alves, em São Jerônimo; Escola
Normal José Bonifácio, em Erexim ; Colégio Estadual Cristóvão Mendonça, em
Caxias do Sul;

- Fez aperfeiçoamento jurídico, em Lisboa, Portugal, em 1975, a
convite do Ministério de Relações Exteriores de Portugal, quando foi bol -
sista. Defendeu na Universidade de Lisboa, a tese - A Imputabilidade no Di-
reito Criminal Português e Brasileiro - aprovada com parecer de louvor pelo
Professor-Catedrático de Direito Criminal da dita Universidade;

- Funcionou nas Câmaras Cíveis e Criminais, do Egrégio Tribunal
de Alçada e Emérito Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, como Pro-
motor de Alçada e Procurador de Justiça do Rio Grande do Sul;

- Foi titular na 1a Câmara Criminal do mencionado Tribunal de Jus-
tiça.

- Todas as suas promoções - da primeira até a 4a entrância, bem
como, a de Procurador de Justiça, foram pelo critério de merecimento, em
lista tríplice;

- Foi Assessor de vários Procuradores Gerais de Justiça, durante
mais de dois anos, participando também do Gabinete de Pesquisa e Plane
jamento da Instituição;

- Atuou como Curador dos Registros Públicos da Capital, no perío-
do de dois anos, onde foi Titular, com responsabilidade de fiscal da lei e
sua execução sobre todos os Cartórios de Registro de Pessoas Naturais e
dos Registros Públicos, de Porto Alegre, RS;

- Foi membro do Conselho Penitenciário do Estado e participou
como membro do Conselho Curador da Fundação de Economia e Estatís-
tica do Estado do Rio Grande;

- Participou como membro da Comissão Julgadora do Concurso do
Ministério Público;

- Fez curso de aperfeiçoamento jurídico na Procuradoria da Repú -
blica da República, em Lisboa, Portugal, onde ficou sediado, a convite ,
em 1983, participando como olheiro do Brasil no centro avançado de
preparação de juízes e promotores de justiça;

- Integrou o Conselho Superior e o Colégio de Procuradores do Mi-
nistério Público, tendo sido eleito por voto de sua classe, para ser um dos
sete procuradores que compõem o referido Conselho, órgão diretivo máxi-
mo da Instituição, em 1986, após atuar como suplente, no ano anterior. E
nessa função aposentou-se;

- Advogado em Porto Alegre, por dois anos, no escritório do Dr. Fer-
nando Malheiros e do Senador Nelson Carneiro;

- Atualmente, após pedir a aposentadoria, exerce a Advocacia em
Vitória e Guarapari,ES, onde reside.

.

V. DADOS ESCOLARES

- Fez os Estudos Primário, Secundário e Clássico, no Colégio do
Rosário, em Porto Alegre, RS;

- Após o vestibular, iniciou na Universidade do Rio Grande do Sul
(PUC), o Curso de Letras Clássicas, não o concluindo;

- Fez Exame de Suficiência na Universidade Federal de Santa Maria,
Rio Grande do Sul, tendo sido aprovado para lecionar português e li-
teratura no 2 ciclo estadual;

- Formou-se em Ciências Jurídicas e Sociais (Direito) na Universida-
de do Rio Grande do Sul-PUC - , em Porto Alegre, l962, com o registro
de seu diploma no Ministério de Educação e Cultura n. 37.221, livro D-33,
fls. 41, em primeiro de março de 1963.

.

"Não deveríamos comparar obras de poetas, mas não nos é possível
ficar alheios em relação àquilo que conhecemos de poetas como
João Cabral de Melo Neto, Morte e Vida Severina, ou de Cecília Mei-
reles, Romanceiro da Inconfidência. A primeira, uma epopéia nordes-
tina; a segunda, um épico mineiro. Ao mundo desses dois poetas,
damos entrada para Carlos Nejar, poeta da geração de 60, com seu
Miguel Pampa, cancioneiro gaúcho. (...)Chamo atenção para a impor-
tância e grandiosidade de Miguel Pampa , poema, poesia e teatro.
A obra é, por si, um conjunto de vivências do poeta,cuja marca
maior é o tempo, o vento e a valorização da vida."
HUGO PONTES . Estado de Liberdade. Jornal "A Gazeta".Vitória, ES.
Em 20 de agosto de 1997.

"O Rio Grande não perdoa os filhos que se afastam do pampa ,
em busca da projeção nacional (...) Se injustiça se fez a Quinta-
na, barrando seu merecido acesso às láureas acadêmicas, maior
injustiça se faz agora na imprensa do Sul, com esta conspiração
de silêncio que tenta obscurecer o nome de Nejar. Mais correto se-
ria reconhecer-lhe, em vida , que ele ocupa hoje, ao lado de João
Cabral, o lugar de maior poeta brasileiro vivo."
SÉRGIO RIBEIRO ROSA. Jornal "Zero Hora" - P. Alegre, RS, em 25 de
junho de 1994.